5 mitos sobre coworking para desvendar

Estamos na era da cultura colaborativa. E compartilhar é o verbo da vez. Alternativas que caminham nesse sentido ganham destaque, como o airbnb. A plataforma de compartilhamento de casas e quartos já movimenta mais o PIB que as redes de hotelaria. Os coworkings, espaços compartilhados de trabalho, também ganham força. Segundo o Censo Coworking Brasil 2017, Já são mais de 810 espaços de coworking conhecidos no país. A cidade de São Paulo lidera a lista com 217 unidades, seguida da cidade do Rio de Janeiro com 71 unidades e de Belo Horizonte com 47 espaços de coworking.

Exatamente por serem inovadoras e disruptivas, as iniciativas que embarcam na economia colaborativa são cercadas de mitos. Aqui no blog, você já viu porque trabalhar em um coworking é tão vantajoso (se não, fica de dica de leitura adicional). Agora é hora de você conhecer 5 mitos que andam dizendo por aí sobre esses espaços. Quem sabe não te ajudamos a desmistificá-los? Vamos lá:

Mito #1: “- Existe um perfil de empresa ou profissional específico para trabalhar em coworking

Antes de tudo, coworking é um lugar de trabalho. Logo, se você está disposto a trabalhar, então você se encaixa nesse perfil. É claro que profissionais que não dependem de grandes equipes, como os autônomos, freelancers, criativos ou advogados costumam se adaptar melhor. Mas pequenas empresas, startups e até equipes de multinacionais ocupam com bastante sinergia esses lugares. Mas na hora da escolha de seu coworking, é importante considerar a localização, o tamanho da equipe, a demanda por espaço ou até o custo-benefício diante da sua atividade.

Mito #2: “- Coworkings são espaços com muita distração! Home-offices são mais vantajosos”

Separar os espaços de trabalho e lazer é essencial. Isso não significa que o lugar de trabalho precise ser maçante! No coworking, por exemplo, há várias estruturas que te permitem descansar entre uma demanda e outra, como os espaços de convivência e jardins externos. Reitero que no coworking as pessoas estão dispostas a trabalhar e, se esse for seu objetivo, há muito menos distração que em casa. Mesmo para quem gosta do home-office, tirar um dia por semana em um coworking pode ser uma alternativa a sair da rotina e abrir a cabeça para novas ideias em um espaço colaborativo e criado para sua melhor experiência de trabalho.

Clientes do Work Point Coworking trabalhando no espaço compartilhado.

No coworking, o associado dispõe de ambientes e serviços profissionais e, assim, o seu foco em sua atividade fim é total (Coworker Luís Westin – Foto: Gustavo Draguskis)

Mito #3: “- Muita gente é sinônimo de falta de privacidade no coworking

O ponto de vista aqui é determinante sobre como você irá encarar o trabalho com pessoas de diferentes atuações num mesmo espaço. Não é preciso interagir o tempo todo, especialmente se seu trabalho exige maior concentração e isolamento. Para esses casos, há até mesmo a opção de salas privativas e salas de reunião.

Nos espaços de convivência, você pode expandir bastante suas visões e estabelecer networkings incríveis. Imagine só se conectar com outros profissionais autônomos, startups no mesmo nível de maturação que a sua e empreendedores com a mesma visão? Ao mesmo tempo em que você se inspira é possível ajudar e dar dicas a quem está no mesmo barco que você. Esteja aberto. Aquela dúvida sobre contabilidade que surgiu de última hora pode ser sanada por alguém do seu lado. E aqui vale ressaltar que se conectar a novas pessoas pode representar grandes oportunidades de negócio.

Mito #4: Coworkings são ambientes inseguros e a estrutura deixa a desejar”

Imagine que o coworking foi criado exatamente para oferecer a melhor experiência de trabalho aos seus clientes. Isto inclui infraestrutura de altíssima qualidade, com internet estável e rápida, apoio administrativo, recepcionistas e pessoas a quem recorrer quando algo foge do seu controle.

No Work Point, você tem a opção de gaveteiros e lockers que garantem ainda mais a sua segurança. Mas não se preocupe! Num espaço de coworking, a única coisa que deve sumir é sua necessidade de estar atento a problemas de estrutura. Afinal, limpeza, uma boa conexão e até o cafezinho pra acompanhar seu momento inspirado são preocupações para quem trabalha ao mesmo tempo em que precisa gerir seu espaço de trabalho. No coworking, a preocupação é uma só: fazer seu negócio acontecer.

Compartilhar um café pode ser uma ótima pedida para dar uma pausa no trabalho e ter uma boa conversa

Compartilhar um café pode ser uma ótima pedida para dar uma pausa no trabalho e ter uma boa conversa. (Foto: Gustavo Dragunskis)

Mito #5: “Esses espaços não são uma realidade em Belo Horizonte”

É comum as pessoas associarem a cultura colaborativa aos maiores centros urbanos do país, como São Paulo. Mas Minas Gerais é hoje uma referência em coworking no país, sendo um Estado bastante influente no setor.

O Work Point entende que é necessário um compromisso com aqueles que acreditam e contribuem para uma economia mais colaborativa e inspiradora. Por isso, criou, em 2015, espaços de escritório compartilhado, salas privativas, salas de reunião ou workshops e escritório virtual, pensados para fazer ideias decolarem.

Somos uma prova de que Minas está muito preparada para essa realidade, que vem ganhando cada vez mais adeptos. Faça sua experimentação grátis.

Localização_Work_Point_Zona_Sul_BH

Localização do Work Point em relação à principal avenida da região centro-sul de Belo Horizonte, a Afonso Pena.

 

Category: Sem categoria
Leave a Comment